Holambra – Cidade das Flores

Não é surpresa para quem já nos acompanha há algum tempo que eu amo flores, e Holambra estava em minha listinha de desejos desde 2019. Com o advento da pandêmia, muitos planos de viagem tiveram que ser adiados, mas, finalmente, esse ano consegui realizar o meu sonho de conhecer os campos de girassóis.

COMO CHEGAR A HOLAMBRA?

O aeroporto mais perto é Viracopos em Campinas – SP, mas, dependendo de onde você mora é possivel ir de carro. Apesar da distância – 698 KM de nossa cidade até Holambra, optamos por ir de carro. Foi bem cansativo, pois foram 10 horas de viagem para ida e 12horas na volta.

 

QUAL A MELHOR ÉPOCA DO ANO PARA IR? 

Se quer conhecer os campos de girassóis floridos, a melhor época é de maio a agosto. Não tinhamos essa informação e achamos que na primavera seria perfeito. Fomos no inicio do mês de outubro e não encontramos os grandes campos de girassóis, mas conseguimos visitar alguns jardins repletos deles. Continuem lendo e vão ver que é possivel conhecer e apreciar esse tipo de flor, mesmo em outros meses do ano.

 

QUANTOS DIAS FICAR?

Pelo menos uns 3 dias, para conhecer e usufruir todos os atrativos que essa pequena cidade oferece.

Falando em atrativos, vamos lá.

 

O QUE CONHECER EM HOLAMBRA?

Pórtico da cidade

Começamos nosso passeio pela cidade conhecendo o Pórtico. Um dos mais bonitos que já vimos no Brasil.

Sua construção assemelha-se aos portais encontrados em cidades da Europa e faz todo sentido, já que a colonização por aqui foi de holandeses. Apesar da cidade ter sido fundada em 1948 o portal que existe atualmente, construido em alvenária e com paredes de tijolos só foi inaugurado em 2004.

Nesse local existe um centro de atendimento ao turista, logo, quem tiver alguma dúvida ou desejar pegar alguma dica extra, não deve deixar de visitar.

 

 

Bloemen Park 

Nossa próxima parada foi nesse parque, cujo o nome traduzido do Holandês para o português, significa Parque das Flores. Nesse local você terá oportunidade de conhecer diversos canteiros com mais de 250 variedades de plantas, tais como: rosas de várias espécies,  girassóis, lavandas, cactus , além de algumas plantas nativas.

O acesso ao parque é pago, mas garanto, para quem ama flores, que vale a pena. Ingressos: R$ 20,00 adulto, criança de 6 a 10 anos e idosos pagam meia. Não é preciso agendar com antecedência, mas recomendamos visitar no inicio da manhã ou no final da tarde, pois durante o dia faz muito calor .

Nesse parque , na parte externa você terá acesso a vários canteiros de flores , um balanço e uma lanchonete, sendo os canteiros de lavanda e girassóis os mais concorridos.

 

Na parte interna eles montaram uma estufa com 4 belissimos jardins. O 1o conta a historia de colonização da cidade, que foi feita por holandeses. O 2o é uma homenagem ao Brasil e eles escolheram a cidade do Rio de Janeiro para mostrar um pouco de nossas belezas. No 3o você irá encontrar uma montagem que remete ao circo e lembranças que esse ambiente nos traz a memória e por último, mas não menos importante, um jardim no do deserto. A proposta desse último jardim é uma reflexão de que a natureza pode nos brindar com belezas inusitadas, mesmo num ambiente inóspito.

 

 

 

Moinho dos Povos Unidos

As atrações em Holambra são todas bem pertinho umas das outras. Voltando do Bloemen Park resolvemos parar para conhecer o Moinho e outras atrações nessas imediações.

Esse moinho é uma cópia fiel dos famosos moinhos encontrados na Holanda e foi projetado pelo Holandês Jan Heijdra. São 10 andares, sendo apenas 6 abertos à visitação O acesso ao deck superior, de onde se tem uma vista belissima, principalmente no pôr do sol, se dá por um pequena escada dentro da construção (uma escada para subir e outra para descer). O acesso à parte mais alta – deck, não é apropriado para portadores de necessidades especiais, tendo em vista que os degraus são íngremes e não há elevador.

O que esperar dessa atração?

1o andar – Os Moinhos do Mundo – aqui se conta a história do surgimento dos moinhos no mundo e para que servem.

2o andar – Os Moinhos de Água da Holanda – aqui você vai conhecer um pouco da história dos moinhos na Holanda e o porquê de suas construções.

3o andar – O Moinho Povos Unidos – nesse piso você terá acesso à maquete da construção desse moinho e como é o funcionamento de um moinho de grãos.

4o andar – Aqui finalmente você chega ao Deck, onde verá o funcionamento do moinho e na parte externa, como dito anteriormente, poderá contemplar a bela vista da cidade de Holambra.

 

Esse local possui estacionamento e nossa sugestão é que você deixe o carro por ali e explore a pé todas as atrações próximas. Uma dessas atrações é a Rua com os Guarda-Chuvas, super instagramável.

Além disso você encontrará: feirinha de artesanato, lojas que vendem flores, cervejarias, uma vila com lojas de souveniers e quiosques que vendem sorvetes de flores. A próposito, não deixe de experimentar pelo menos um sabor. Eu provei o de hibisco e gostei.

A expoflora acontece bem pertinho desse local, mas ainda não foi dessa vez que conseguimos visitar tal exposição, que está suspensa desde o inicio da pandêmia.

 

 

Na cidade existem várias praças, mas escolhemos visitar apenas duas:

 

 

Praça da Cachoeira

Uma praça com alguns lagos artificiais e uma pequena queda dágua que alimenta tais lagos. Não é necessariamente uma cachoeira, mas de qualquer forma vale a visita, pois o lugar rende fotos lindas, principalmente no final da tarde.

Vejam se concordam.

 

 

 

 

 

 

 

Praça dos Coqueiros

Essa praça fica em frente ao Parque Van Gogh e atrai muitos visitantes, pois tem o famoso letreiro “Eu Amo Holambra”, que por sinal é muito concorrido para fotos. O que mais gostei de fazer nessa praça foi sentar num banco próximo ao chafariz e relaxar com o canto dos muitos pássaros.

 

 

 

 

 

 

Parque Van Gogh e Lago do Holandês

Atração gratuita na cidade. Entrando no parque você terá acesso a algumas telas do famoso pintor Van Gogh (réplicas). Caminhar pelo local e depois sentar a beira do Lago Holandês para um bom papo é a distração. Existem vários quiosques que servem cafés e cervejas e algumas redes para você relaxar apreciando a natureza.

Vimos muitas famílias com crianças nesse local, pois, além dos pedalinhos, há uma pequena tirolesa, parede de escalada e aluguel de bicicletas.

 

 

Deck do Amor e  Lago Vitória Régia

Deck simples , assim como deve ser o amor. Com uma vista linda para o Lago Vitória Régia, muitas flores e muitos cadeados colocados por casais apaixonados. Lembra a Ponte dos Cadeados em Paris, claro que bem menor e mais simples.

DICA: Se quiser colocar um cadeado, sugiro comprar antes, pois no entorno do lago é vendido, mas achamos caro.

Lago Nossa Prainha

O local que mais gostei na cidade. Um lindo lago cercado por uma belissima vegetação, patos e muitos pássaros.

No local existe um bar com um deck de madeira e vários ambientes que rendem lindas fotos. Caminhar ao redor do lago no inicio da manhã, sem pressa, apenas apreciando as belezas naturais foi o que mais gostamos de fazer

 

Rua Coberta ou Rua da Amizade

Bem pertinho da Prainha , só atravessar a avenida e você irá encontrar esse local. Parte da rua é coberta, no fundo há um ginásio e ao lado alguns restaurantes pequenos. Todos os grandes eventos da cidade (exceto Expoflora). Carnaval , Festa do Padroeiro, etc acontecem nesse espaço.

 

Macena Flores 

Quando eu achava que não ia conhecer nenhum Campo de Girassol, apenas canteiros , fui pega de surpresa com uma informação do porteiro do Parque Van Gogh,  que me falou sobre esse lugar.

Até então as informações que tínhamos era que não existiam campos de girassois floridos nessa época do ano.

Mesmo sem agendamento, partimos para a Macena Flores.

Fizemos a visita guiada por um profissional da fazenda. Começamos conhecendo as estufas de cactos e nunca poderíamos imaginar que na natureza houvesse tantas espécies dessa planta. A que mais nos chamou atenção foi essa da foto abaixo. Essas são as matrizes e não estão à venda, mas é possível comprar as mudas e cultivá-las por no minimo 20 anos para vê-las dessa forma.

A visita términa num campo de girassol, que, segundo nos foi informado pelo nosso guia, é uma muda hibrida, que não é usada na produção de óleos, servem apenas para ornamentação.

 

 

 

 

 

 

 

 

ONDE COMER?

Uma amiga querida da vida e seguidora no Instagram, @catiavaleriabernardo deu uma sugestão que achei bem legal e estou implementando a partir desse post. Colocar na frente das hospedagens e restaurantes as quantidade de estrela que eu dou para esses lugares. Então vamos lá.

*** Restaurante Tratterie Holandesa

Arquitetura tipicamente holandesa, restaurante com bom espaço e ótimo atendimento.

Queríamos experimentar um prato / petisco tipicamente holandês. Como já era tarde, pouco antes das 22:30h, optamos por escolher um petisco. Salsichão com monstarda e uma porção de croquetes. O 1o era bem comum, já comi salsichão mais gostoso em festas caipiras. Os croquetes estavam divinos e foi um prato muito bem servido.

Não podemos fazer uma avaliação mais minunciosa da gastronomia, tendo em vista que apenas petiscamos.

Valor pago pelos petiscos e garrafa de vinho : R$ 180,00

 

**** Villa Milani Antiquário

Quase em frente ao Tratterie. Nos chamou atenção, na noite anterior, pois ouvimos alguém tocando piano durante o jantar. No sábado fomos lá conferir.

Não tinhamos feito reserva e, apesar da casa cheia, o proprietário nos recebeu muito bem. Ficamos, numa sala de estar super aconchegante aguardando que eles providenciasse uma mesa. Não demorou nem 10 minutos e lá estavamos sentados numa mesa bem pertinho da cantora (que por sinal foi ponto alto da noite – a voz lembrava a Zizi Posse). Durante o jantar tivemos o prazer de ouvir piano, violino, acordion e música italiana.

O restaurante só não ganhou 5 estrelas, porque esperavámos mais da gastronomia, tendo em vista que o cardápio era assinado por um Cheff. Pratos com boa apresentação, mas o sabor ficou um pouco a desejar.

Valor pago jantar + drinks – R$ 388,00

 

** Restaurante do Lago

No domingo fomos almoçar nesse restaurante que fica à beira do Lago do Holandês. Restaurante com uma decoração de bom gosto, com excelente estrutura e atendimento.

Gastronomia deixa muito a desejar, principalmente pelos valores pagos. Meu marido pediu um pintado na brasa, que veio acompanhado de arroz e fritas (gostamos de arroz e fritas, mas não foi uma boa combinação com esse peixe). Eu pedi um espaguete com frutos do mar, que apesar de uma boa apresentação, o sabor não agradou.

Valor pago pelo almoço = vinho = R$ 303,00

 

**** Rancho da Cachaça – mesmo local onde ficamos hóspedados

Numa área bem grande e arejada, apreciamos uma das melhores Parrilhas que já comemos. Acompanhada de comida caseira feita no fogão a lenha. As sobremesas lembravam os doces tipicos que comemos na infância: doce de abobora, doce de leite com queijo etc. Valeu cada centavo investido (sim porque comer bem não é gasto é investimento). 

Valor pago pelo almoço com bebidas = R$ 195,00

 

*** Restaurante Martin Holandesa

Bem localizado, bom atendimento e no centro da cidade. Como era muito bem avaliado no tripadvisor  fomos lá conferir.

Apesar de ser um restaurante tipicamente holandês, optamos por não provar dessa gastronomia, pois normalmente são pratos de dificil digestão para comer à noite.

Escolhemos de entrada : canapés de banana da terra, que estava “gostosinho”, mas nada de encher os olhos e prato principal uma massa com file mignon e gorgonzola, que não valeu o preço pago.

Valor pago pelo jantar com drinks = R$ 377,00

 

ONDE SE HOSPEDAR?

*** Rancho da Cachaça (onde nos hospedamos)

Hospedagem simples e com pouco conforto, mas num local privilegiado pela natureza. Muitos passáros, arvores nativas e muito tranquilo, próprio para quem deseja descansar. Distante da cidade.

Café da manhã saboroso, farto e servido no fogão a lenha.

Aposentos deixam a desejar. Não havia ducha higiênica e a TV pequena.

Ponto Alto da hospedagem foi visitar e conhecer um pouco mais sobre a produção da Cachaça que é feita no rancho.

Valor da diária para casal: R$ 464,00

 

*** Holambra Garden Hotel

Essa hospedagem no centro da cidade tem um diferencial para quem viaja sem transporte próprio ou para quem viaja de carro mas gosta de  ficar próximo as principais atrações e restaurantes.

Café da manhã normal e com boa variedade.

Quarto simples, porém bem arejado. Se a proposta é passar o dia todo passeando, tá valendo.

Valor da diária para casal: R$ 484,00

 

Para finalizar queria deixar para você uma reflexão:

Ser “turista” ou ser “viajante”?  O turista leva fotos dos lugares por onde passou. O viajante leva, no coração, um pedacinho de cada lugar que conheceu. Como você se define?

Deixe seus comentários e nos ajude aprimorar o nosso conteudo.

Até a próxima

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *